sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Falar mal da vida alheia...

Então que falando francamente e indo direto ao ponto estou meio irritada com essa faceta humana de ser mesquinha, invejosa, fofoqueira...
Pois é, irritada, porque já passei das outras fases! Primeiro sempre fico meio surpresa, chocada, decepcionada. É, eu sei, meio ingênuo isso, né? Eu até tento ser mais maliciosa com a vida (e com as pessoas), mas é difíiiicil, sabe? Acabo sempre insistindo até meio que involuntariamente nessa visão romântica da vida, e por mais que eu saiba e sinta na pele que nada é um mar de rosas, que todos tem um lado maldoso e mesquinho, a fé na humanidade persiste.
Daí que depois rola uma tristeza, porque é muito chato, vamos combinar, estarmos envolvidos em fofocas maldosas, que nos prejudicam e atingem diretamente.
Sei que a próxima etapa é engolir o fato, como um remédio amargo, aprender com ele, curar as feridas e passar a desprezar seres tão pequenos, baixos e inferiores! Não que eu já não os despreze, mas com conhecimento de causa explícito, quero dizer, saber que fulano ou ciclano se trata de tal ser, é digamos, algo a ser digerido e geralmente me causa uma congestão.

Acredito que são os desafios da vida, né? Porque são essas desafinações que nos ajudam a crescer.
É claro que é chato, desagradável e incômodo passar por tais situações. Causa um horror sentimentos tão negativos, porque quem se preza a isso é alguém desprovido de emoções em sua própria vida, que desejam o que é do outro, mesmo sem saber o que o outro TEM ou É de verdade. Posso dizer que são pessoas dotadas de bastante imaginação, (ou não): elas viajam que nossa vida é linda, deslumbrante, que somos felizes permanentemente, enfim... E então aquela tentação de inventar, distorcer, aumentar, dissimular, é um prato cheio pra quem tem fome de prazeres reais.

Bom, ninguém disse que aprender a viver, crescer e evoluir é algo fácil. Cabe a cada um utilizar a sabedoria que lhe cabe. O que posso afirmar é que todas as experiências da minha vida me servem pra alguma coisa. E desejo em dobro a todas as pessoas o mesmo que elas desejarem a mim.

5 comentários:

Liana disse...

Queridona, por mais que sejamos pessoas de bem com a vida, otimistas, doces e acima de qualquer mesquinharia, é mesmo inevitável não nos chatearmos com fofocas e comentários maldosos. Aliás, justamente por sermos pessoas do bem, essas coisas chocam e chateiam sim. Tomara que a sua chateação passe logo e fique tranquila porque quem lhe conhece de verdade, sabe exatamente do que você é capaz. Beijos e fique bem!

Cláudia Paulino disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cláudia Paulino disse...

Japa querida, não é fácil engolir esse tipo de "sapo"... realmente é indigesto e injusto. Mas a vida é isso, existe o bem e o mal. Continue sempre firme e feliz, não dê atenção a quem te inveja e siga seu caminho conquistando os amigos verdadeiros e que te querem bem. Aos "de coração pequeno e mesquinho" que a vida lhes ensine a crescer e melhorar... Você é linda, tem um sorriso contagiante (não permita que eles tirem a alegria da sua carinha) Beijos e bom fim de semana !!!

Eneida disse...

Acredito na lei de causa e efeito!
O que se deseja aos outros, volta com força dobrada!
Mas tem gente que ao invés de pensar em se melhorar, em cuidar da própria vida, quer cuidar da vida dos outros!
A evolução é lenta!
Aprende-se com o tempo!
Beijo!

Michelle Senna disse...

Já te disse que quem fala da vida do outro, fala porque não tem vida própria, é um infeliz.
É melhor nem ligar, deixar prá lá e viver a nossa vida o melhor possível.
Agora lendo o que você escreveu pude reparar que você é uma menina que escreve muito bem o que pensa.Parabéns...=D