sábado, 20 de março de 2010

Desaceleração...

Assim como a tartaruga, nós também levamos conosco a nossa casa, aonde quer que vamos. Não há necessidade de apressar-se, não é preciso procurar abrigo em nenhum outro lugar. Mesmo quando mergulhamos nas profundezas das águas da emoção, podemos manter-nos abrigados em nós mesmos, imunes a dependências. Há um momento em que você se prepara para deixar de lado quaisquer expectativas que tem cultivado a seu próprio respeito, ou a respeito de outras pessoas; prepara-se para assumir a RESPONSABILIDADE por quaisquer ilusões que possa ter estado carregando. Nessa hora, não há necessidade de fazer nada, bastando repousar na plenitude de quem você é neste exato momento. Se os desejos, esperanças e sonhos estão se tornando vagos, tanto melhor. Seu desaparecimento está abrindo espaço para um novo clima de tranquilidade e de aceitação das coisas como são. Você irá sentir-se capaz de dar as boas-vindas a esse crescimento pessoal, de uma maneira que nunca esteve antes ao seu alcance.
Desfrute essa sensação de diminuição de ritmo, de se aproximar do repouso, e de reconhecer que você já está em casa.

(Trecho do livro "O Tarô Zen de Ocho")

3 comentários:

Michelle Senna disse...

Nossa amigaaa que profundoooo,acho que vou ter que ler 3 x para assimilar...hahaha!!!mas acho que estou num momento contrário, precisando acelerar, não no sentido de ser mais rápida, mas no sentido de correr atrás do que eu quero de verdade, tipo batalhar pelo meu espaço nesse mundo de meo deus sabe?Não quero mais me conformar com as coisas como elas estão, cansei!=/
Um beijo amigaaa bom domingo!!!!

Eneida disse...

Nossa, esse livro deve ser maravilhoso!!!
Adorei!
Preciso aprender isso!
Beijo!

Su disse...

ótima messagem para refletirmos!!
=)